Jornalismo

Aos 10 anos, de tanto fazer perguntas, minha professora de português me disse: Karina, você já pensou em ser repórter? Até então isso parecia ser uma realidade muito distante para a pessoa que só pensava em ser a bailarina do Tchan. Mas tive oito anos para amadurecer a ideia até chegar o vestibular e me apaixonar pelo jornalismo. Já passaram mais de dez anos que trabalho nesse ofício de perguntar e contar as histórias dos outros.

Preciso dizer que a cada entrevista gosto mais da minha profissão. Pode ser sobre pastel de feira, lançamento de carro, tipos de madeira, fotógrafos de casamento ou por que a areia da praia muda de cor, tudo me interessa. E eu vou fazer questão de fazer todas as perguntas, especialmente as que parecem tolas, para depois contar a melhor história.

O resultado pode ser um texto. Mas se você preferir um vídeo, um áudio ou uma foto, eu posso resolver isso para você e também me unir à outros profissionais para fazer essa entrega. Está precisando de uma repórter para uma pauta, me chama. Sujar os sapatos em busca de um boa história é comigo mesmo.

Anúncios